domingo, 15 de outubro de 2017

XIV ENCONTRO DO GRUPO CRISTAL - DEZEMBRO - RESTAURANTE OLYMPE.


Visão Panorâmica da Grande Mesa do Olympe, com 12 Membros.

No dia do tão aguardado Encontro do Grupo Cristal, 04 de dezembro último, fui andando, desde Copacabana, até o Restaurante, que não fica muito longe, cerca de cinco Km, no Bairro do Jardim Botânico, deveras apreciado por Tom Jobim e a maioria dos cariocas. Com suas vetustas Palmeiras Imperiais, além de muitas outras espécies, encanta e inspira.


O Competente Maître Cleiton nos apresenta o Champagne.

Caminhava pensando nas coisas que não têm preço, que são impossíveis de precificar. Uma professora, que ensina ao aluno que, mais tarde, faz progresso numa carreira e serve a muitos; no médico, que intervém e salva uma vida... Quanto vale isso? Como precificar esses atos grandiosos? Andando e me recordando de uma das muitas ocasiões em que tive que intervir, nesse meu quase meio Século de Amor à Vida, para salvar um ser humano. 


O Maître Discorre Sobre o Espumante CT Cuvée 
Especial Pas Dosé.

Aconteceu, quando eu trabalhava num hospital de uma cidadezinha do Estado de Santa Catarina. Eu assumira o hospital, substituindo um colega que partira para a sua viagem de lua de mel. Ele me disse: "Aqui é muito calmo, só temos cinquenta leitos, nem sempre lotados". Boa mesmo havia apenas uma auxiliar de enfermagem. O médico precisava operar o aparelho de RX e dar a anestesia, caso fosse fazer uma cirurgia ou parto. 


Aqui, o Simpático Cleiton nos Apresenta o Portentoso Madeira.

Pois bem, no dia seguinte ao da minha chegada ao hospital, chegou um patroleiro, com Traumatismo Crânio-Encefálico. Feito o exame neurológico, a suspeita diagnóstica se confirmou: Hemorragia Subdural. Trata-se de uma Emergêngia Médica dramática, que, na maioria das vezes, é devida à ruptura da Artéria Meningéia Média, com a rápida formação de um coágulo, logo abaixo da Dura Máter. Quase me sentei no chão a chorar, feito criança. 


Parte da Equipe: Garçom Almir, Maître Cleiton, Roberta e Silmar.

Foi então que me recordei do saudoso Mestre Enedir Lima, ao abrir o crânio de um paciente, no Hospital de Caridade: "Vocês estão vendo aquele coágulo, logo atrás da Dura Máter? Neste caso, vocês têm que abrir o crânio do paciente, imediatamente, aspirar o coágulo e estancar a hemorragia... Não dá para encaminhar para um hospital melhor e nem chamar o Professor Enedir! Vocês têm que sair desta Escola sabendo abrir um crânio e precisarão abrí-lo, nem que seja com um sacarolhas, caso não temham um Trépano! Vocês entraram aqui, para salvar vidas!"



Menu Olympe pelos Chefs Thomas e Claude Troisgros, 
elaborado especialmente para o Grupo Cristal.

Fiz uma Arteriografia e lá estava o Coágulo, sorrindo para mim, aumentando! Pedi à Enfermeira o velho e bom Pentobarbital Sódico e botei o paciente para dormir. Trepanei a região temporal direita do crânio e fiz o que tinha que fazer, respirando aliviado, depois de cerca de duas horas de cirurgia. Agora eu lhe pergunto, "leitor ignaro", parafraseando Machado de Assis: Quanto vale esse ato cirúrgico? Trinta, quarenta, cinquenta, cem mil reais? Quanto valeria a vida desse trabalhador, pai de cinco filhos? Não, não tem preço! 


Olho de Boi, Purê de Beterraba Acidulada e Quinua Crocante.
Espumante CT Cuvée Brut Claude Troisgros - Garibaldi, Br.

E continuava andando em direção ao local do Encontro, com um sentimento de entusiasmo, de grande satisfação... O que faria um Grupo de Enófilos, uma Confraria, perdurar por tantos anos e manter a energia hedônica, sempre renovada?... Que mágica exerce a bebida de Baco, inoculando tanto amor aos seus aficionados? Que estranha força é essa, que faz tantos de nós sair pelo mundo a garimpar preciosidades? 


Polvo de Mergulho Prensado, Mini Legumes no Vinagre e Mel.
Champagne Perrier-Jouët Cuvée Belle Epoque Rosé 2004.

Quanto custa isso, quanto custa, em esforço e despesas, para cada um que se lança nessa busca e na organização do Evento? Quanto custa de trabalho e investimento do Produtor, do Enólogo, para produzir o seu néctar? Muitos desses Mestres e Artífices do vinho já não existem mais, mas isso não os impede de nos continuar agraciando com o nobre esforço e fertilidade das suas vidas.


Cavaquinha Confit, Manteiga de Baunilha da Bahia e Batata 
Crocante. Didier Dagueneau Pouilly-Fumé Silex 2009.

Depois de dois anos consecutivos no sistema "chef em casa",  pelas delícias da competente Equipe da Chef Ana Salles, o Grupo escolheu o Restaurante Olympe, dos renomados Chefs franceses Claude e Thomas Troisgros, cujos temperos já não  me eram estranhos. A feliz sugestão, assim como os arranjos inerentes, foram feitos pelo Confrade Gilson Araújo Júnior.


Magret de Pato, Purê de Maracujá, Endívia Grelhada e Foie Gras.
Château Angelus 2000.

E o Olympe realmente merece a fama que tem! Excelente comida e atendimento primoroso, sem jaças. Toda a Equipe é constituída por profissionais treinados.


Crêpe Passion: Blandy´s Terrantez 1976 - Madeira, Portugal.

Como a Sobremesa não harmonizou com o Madeira, a Confreira
e também Chef Angélica Martins, junto com Emília, propuseram 
e trouxeram essa deliciosa e untuosa Tortinha de frutas secas e 
açúcar mascavo. Uma para cada um de nós. Aí sim deu certo!

"Petits Fours", Para Acompanhar o Café, Coado na Frente do Conviva.

Um Saboroso e Fresco Café.

O "Desfile" das Garrafas que Valorizaram o "Repas".

Espumante CT Cuvée Claude Troisgros Brut, Brasil, Garibaldi, RS.

Espumante CT Cuvée Especial Pas Dosé, Brasil, Garibaldi, RS.
Agraciado ao Grupo pela Casa, o que valorizou a festa de todos.


Champagne Perrier-Jouët Belle Epoque Rosé 2004, France, Champagne.


Silex 2009, de Domaine Didier Dagueneau, Pouilly-Fumé , France, Loire.

No Exame Visual, revela muito boa cor amarelo palha claro, escorregadio, com reflexos dourados, muito transparente e brilhante. No Olfato, é franco, amplo, com algum caminho para o etéreo. Aromas mineral (querosene, pedra de isqueiro) e cítricos, como limão, lima; notas de abacaxi e pêssego; aromas de maçã e mel... capim, rosa branca; xixi de gato (?)... Na Boca, revela-se seco, fresco, equilibrado, macio, de médio corpo e sem a presença de taninos. O vinho termina bem, deixando a boca fresca (querendo mais) e está pronto.


Château Angelus 2000, 14 % Vol., Saint-Emilion 1er. Grand Cru 
Classé, de Boüard de Laforest & Fils, France, Bordeaux, 


Terrantez 1976, 20 % Vol., de Blandy, Portugal, Madeira.

Elaborado com a raríssima Casta Branca Terrantez, estagiou em barricas de carvalho americano, durante 21 anos, indo para a garrafa em 2015. A Família Blandy ainda é responsável por administrar toda a adega. Ao longo da história, a Família desempenhou um papel de destaque no desenvolvimento do fortificado vinho Madeira e, nos dias de hoje, continua a habitar a ilha, dando prosseguimento a uma longa tradição familiar que data de 1811. Ou seja, mais de dois séculos quase que exclusivamente destinados à produção dos vinhos Madeira. A ilha da Madeira, umas das regiões vinícolas mais famosas de Portugal, de origem vulcânica, é privilegiada pela sua localização geográfica no Atlântico, potencializando de forma inequívoca a expansão vinícola. O relevo da ilha é montanhoso e íngreme, recortada em dois por uma cordilheira que atinge 1.862 metros de altura, resultando em sete diferentes microclimas, que desempenham um efeito determinante na localização dos vinhedos.

Vinho de bela cor amarelo-âmbar médio, denso, transparente e muito límpida. No Nariz, é profuso em aromas de baunilha, caramelo, frutas secas, amanteigado, com notas de torrefação, amêndoas torradas, figos secos, chocolate. Percebem-se, também  notas florais. Na Boca, confirma-se o que percebemos no Olfato e revela uma grande complexidade, doce porém não de modo exagerado, cotrabalançado por uma ótima acidez. Notam-se um toque balsâmico e notas de canela e alcaçuz. Final muito intenso e muito persistente.




Esse Grande Madeira vem com "Pedigree".

Emília Leandro, comandando o Serviço do Vinho de Sobremesa. Recordação do 
II Encontro do Grupo Cristal, no Restaurante Manggiamo. O Vinho era um 
Portentoso Château D'Yquem 1988.

O Grupo Cristal foi fundado em 2004 e se Encontra,  a cada ano, sempre no início de dezembro. É composto por doze membros, que se dividem em dois sub grupos, de seis membros cada um (cada sub grupo recebe uma garrafa de cada um dos vinhos escolhidos; exceção para o de sobremesa). 

O Mesa de Baco agradece a todas as Confreiras e Confrades que sempre colaboraram, de modo irrestrito, para que os nosso Encontros continuem com o brilho que sempre mostraram, desde a  primeira edição, em especial à Emília Leandro, à Fátima Carvalho, à Chef Angélica Martins, ao Antônio Dantas e ao Gilson Araújo Jr. Deixamos aqui uma menção especial à Simpática e Competente Equipe do Olympe.

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

59º Encontro da Confraria do Camarão Magro - Espaço Cozinhando com Gioia.



Em 16 de julho tivenos mais um Encontro da nossa Confraria, desta vez no Espaço "Cozinhando com Gioia". Nosso Confrade José Flávio Gioia nos preparou um autêntico Almoço "di Famiglia", elaborado por ele mesmo, que colocou, literalmente, a mão na massa, para a satisfação de todos...



E mais uma vez ficamos encantados pela amabilidade do Casal Heloísa e José Flávio, que não mediram esforços para preparar o "Repas", com todo o esmero e atenção nos mínimos detalhes, como numa Orquestra Sinfônica.



Depois de tantos outros memoráveis Encontros na casa dos Gioia, as Confreiras e os Confrades já estavam saudosos, sentindo a falta e nos sentíamos meio "guachos", querendo voltar, para continuar uma confraternizaçao da qual não se vislumbra um fim.


Equipe a postos e mesa sendo montada com as delícias.

Não deixarei sem registro a grata participação do Confrade Rogério e da Confreira Isabel, sua consorte, que há muito não nos davam o prazer do seu convívio, uma vez que não estão residindo no Rio... A seguir, os meus leitores virão com as fotos o que estou querendo dizer com as palavra, por vêzes não tão fáceis de expressar.


Gioia inicia Paulo Cotta na Técnica e  Arte do Sabrage.

Paulo se prepara, sob os olhares de Kawasaki, Gils e Marlise.

Com o êxito do feito, Mestre Gioia Consagra o Confrade.

Agora é a vez do Presidente José Paulo Gils treinar.

Pronto, trabalho exitoso! Parece se tratar dum Mestre...

Depois da exitosa missão, Mestre Gioia Condecora J. P. Gils.

O competente Sommelier Almir serve o espumante para Rogério.

O Chef Gioia faz uma pequena pausa para conversar.

Detalhamento do Cardápio Italiano em elaboração.

Imbiolato di Formaggio, Ricotta e Salsiccia alla Cinelli

O Chef corta o Imbiolato di Formaggio, Ricotta e Salsiccia.

Os Diversos e Saborosos Panes (Receita e Segredo de Família)

Imbiolato di Formaggio, Ricotta e Salsiccia alla Cinelli (Fatiado)

Um diferente e supimpo Parmigianno Stagionato

Peperone alla Giovannina e Melanzana alla Gioia

De Repente, Apareceu: Roloté de Mozzarella Piana.

Patate Calabrese, no Ponto do Paladar para abrir o apetite.

Olive al´erbe: Divina, a melhor que jamais provara!

Uma Surpresa: Marinata di Manzo para compor com os pães.

Surpreendente esse: Mise en Bouche Risoni al Salmone

Lungocopa: É de se provar rezando e sem pão!

As Panelas descansando a comida sobre o fogão industrial.





Montagem do Secondo Piatto: Polenta di Coda con 
Funghi Porcini Sotto Verdure Grigliate

Ângela Aldighieri, Marlise Brandão e Emília admiram o Prato.

O Chef Gioia vai finalizando o Prato: Polenta di Coda con 
Funghi Porcini Sotto Verdure Grigliate.



Uma das Belas Mesas Postas, à Espera dos Convivas.



Louça Bem Antiga Herança da Famiglia Gioia.

O Anfitrião Conversa Animadamente com os Convivas.

Visão Panorâmica da Grande Mesa: Foto Flagrante.

Lígia Peçanha, Isabel, Gioia e Ângela Aldighieri.

O Anfitrião canta  Merica Merica para os Confrades.

Ah, me lembrei de uma viagem: Ribolitta Toscana.

Primo Piatto: Pasta Rossa con Carne di Manzo e di Maiale 
( Ricetta di Famiglia)

Secondo Piatto: Polenta di Coda con Funghi Porcini Sotto Verdure Grigliate
Rolotè Mescolato; Insalate di Foglie con Petali di Parmigiano

Dessert: È Vero! Panna Cotta Sopra Macedonia 

Pós-Dessert: Cantucci, para molhar no Vin Santo.

Digestivo: Limoncello

Bibite non alcolici: Acqua Naturale e gassata, altre bibite 
normale e diet.Tè con l´erbe del giardino e caffè.


Uma Visão Panorâmica de Uma das Mesas. 

O Chef Gioia Apresenta a Equipe aos Convivas

A Competente Equipe Que Fez o Serviço do "Repas".



Boas Vindas: Prosecco Corte dei Dogi Brut Cantarini, 
11 % , DOC Treviso - Veneto - Itália.

Para o Buffet (Antipasto de Gamiglia); Tebbiano D´Abruzzo
Colle Secco 2014, 12,5 % Vol., DOP Tollo, Abruzzo, Itália.

Para o Primo Piatto: Cuvée 67 Montala Sngiovese-Merlot, 
13 % Vol., Emilia Romagna, Itália.

Para o Secondo Piatto: Passaparola Feudivini
Primitivo 2012, 13 % Vol., Puglia, Itália.

Para Dessert: Passito Terre di Chieti IGT 2008,
15 % Vol., Tollo, Abruzzo, Itália.

Badia a Coltibuono, Vin Santo Del Chianti Classico
2008, 14 % Vol., Gaiole in Chianti, Toscana, Itália.

O Sommelier Almir Decanta o Vetusto Vinho.


Moscatel Carmelitano, de Los Carmelitas Descalzos - 
Desierto de Las Palmas -Benicasim - Castellon (DO Valencia) - 
Espanha. Garrafa no. 302.Vinho da Adega do Avô do Gioia 
(com mais de 80 anos!).

A bela cor âmbar do vetusto vinho no decânter.

Detalhe da Bela Cor Âmbar do Vinho na Taça.

Flagrante: No final do "Repas", Luiz Mattos pega uma Cerveja 
e quase é interditado por heresia vínica.