segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

VII Encontro do Grupo Cristal - Le Pré-Catelan - Hotel Sofitel - Rio de Janeiro.

Marcus Vinicius, Ligia Peçanha e Georgeana Macedo Rezende("Sponsor Committe").
Todos os deuses afins - Dionísio, Baco e Demetra - conspiravam há um ano, para que o Encontro fosse um sucesso... A manhã de sábado estava bonita e o Sofitel, imponente, ancorado no Posto Seis, nos aguardava. Era mais um almoço do Grupo Cristal. Chef Roland Villard, do Le Pré-Catelan, com a chapa quente... O Sommelier Jean Pierre (o mais antigo da Casa) e A Sommelière Marlene (Ex-do Quadrifoglio), já decantavam os tintos.

Panorama de uma Parte do Cristal.
A Saga do Cristal foi grande, em verdadeira "caça aos vinhos", em diferentes quadrantes do Globo: Jaqueline Barroso e Jaime Albuquerque trouxeram o Mouton 1996; Georgeana e Marcus Vinicius, o Vinho de Sobremesa e um Mouton 1989; Dara, o Mouton 1990; Emília Leandro, outro Mouton 1990, com o qual atravessou o Deserto, em sua viagem ao Marrocos, com a Confraria do Camarão Magro; Antônio Dantas, um Mouton 1989;"Tia Conceição" (da Georgeana) trouxe um Cristal, de Paris; Vinicius, duas gar. de Cristal (Free Shopping Amsterdam).


O "Cocktail" servido com Espumante Chandon: Ceviche de peixe com cebola confitada (nas colheres); Pão de especiarias com queijo de cabra e mousse de tomate seco; Brioche de carne de siri.
`
A Mesa Posta, com todo o rigor e esmero da Equipe ("Iso 9000").


Sílvia Feiner ficou sozinha na mesa, deslumbrada, evocando Baco, Dionísio e todo o Olimpo.

O "Desfile" Multicolorido dos Copos.

O arranjo de flores.

"Meninas se preparando, perfiladas para o ataque", com Emília em prim. Pl.


Pamorama da Mesa, ao se iniciarem os Trabalhos do Grupo.

A faina já começou. Ah, como isso deu trabalho!


Antônio Dantas e Ligia Peçanha concentrados no Mouton.

Iniciando-se da Esquerda, João Luiz Manso, Vinicius e Gilson Araújo Jr.



Marlise Brandão e Georgeana Macedo Rezende.

Sidney Rodrigues e Sandra.

"Couvert" com Champagne Cristal: Vieiras com palmito fresco e Folhado de brie
com chutney de damasco.
Entrada harmonizada com Carbonnieux 2005 branco: Carpaccio de lagostins
marinados com limão e azeite, salada de lagostins na chapa.


Carpaccio de pato e cogumelos, salada de semolina com passas (previamente escolhidas).

Prato principal harmonizado com o Mouton Rothschild: Carré de cordeiro assado
e gnocchi de berinjela. Fez belo par com os vinhos tintos.

Torta de massa folhada fechada, com o recheio de codorna, cogumelos cèpes,
repolho acelga e foie gras (como uma segunda opção de Prato Principal).

Sobremesa harmonizada com o Anthologie: Torta de coco, com banana e
manga, sorvete de taperebá.
Mil-folhas de crème de baunilha com calda de caramelo,

"Petit fours", chocolate e macarons.

Champagne Cristal Brut 2002, 12 % Vol., Louis Roederer.

Amarelopallha claro, com reflexos dourados. Perlage finíssimo, mas não muito persistente.

Nariz: Aromas de frutas cítricas, harmonizando-se com notas de frutas vermelhas, como morango e cereja. Leveduras e sutis aromas de amêndoas. Evolui com ligeiras notas de tostado.

Boca: Vinho redondo e potente, mas de grande delicadeza e frescor. Deixa a boca cremosa e ampla, com final longo e fresco.


Château Carbonnieux Grand Cru Classé de Graves 2005 (Pessac-Léognan). Revela aromas de frutas cítricas, lima, limão... No final, se abre em abacaxi maduro e damasco.

Château Mouton Rothschild 1989 e 1990.

O Branco e os Portentos de Bordeaux: Château Mouton Rothschild 1996, 1989 e 1990.

Todos se apresentam com bela cor vermelhogranada escura, com reflexos alaranjados.
Safra 1989: Aromas mais etéreos, como compota de frutas vermelhas, especiarias (cravo) e tabaco. No final (fundo de copo), revela-se em delicados aromas de aniz estrelado.
Safra 1990: Muitos aromas animais... Pele de salame... Melhor na boca do que no nariz.
Safra 1996: Aromas bem presentes de frutas vermelhas, além dos aromas de evolução. "É o melhor dos três. Se fosse degustado às cegas, você não diria que é um 1996!" (comentário de Fátima Carvalho).

Os Tintos enfileirados, com as taças identificadas.


A bela cor do vinho de sobremesa.

Anthologie Par Philippe Delesvaux 1997, 11 % Vol. (White Loire Table Wine).Da Casta Chenin Blanc de colheita tardia. Com aromas de melado de cana, alcaçuz e mel, no final. Lembra um Pedro Ximenez. Muito doce. Sobrou vinho em relação à sobremesa. Com um botritizado ficaria melhor...

Uma Pirâmide de Cristal, para as comemorações finais.

Jaime Albuquerque e Jaque Barroso: Final com "Love".
O Grupo agradece aos Colaboradores e ao Le Pré-Catelan, que sempre nos atende com muito carinho, em todos os Encontros lá realizados.
Os Créditos das melhores fotos pertencem à Fotógrafa Oficial do Grupo, Sílvia Feiner, a quem agradeço a gentileza de as liberar para o Mesa de Baco.














































































4 comentários:

  1. Simplesmente Maravilhoso!!!

    Abs e saúde
    www.vivendoavida.net
    Silvestre

    ResponderExcluir
  2. Grato, Confrade, Pelas gentis palavras. Fico contente pelo fato de vc. ter gostado.

    ResponderExcluir
  3. parabéns... pareceu-me maravilhoso!!!

    ResponderExcluir
  4. Que maravilha!!!
    Que tenham muitos encontros neste novo ano e excelentes harmonizações.
    Parabéns pelo artigo. Cheguei a imaginar o sabor e perfume...

    ResponderExcluir

Por favor, queira deixar o seu pertinente comentário.